COMO SURGIU O INSTITUTO PRECISA

Da indústria para a indústria

Após mais de 20 anos trabalhando na indústria de transformação, acumulamos informações sobre os desafios enfrentados para harmonizar produção com meio ambiente. Trabalhando na implantação de sistemas de gestão ambiental, que abrangem desde a escolha de matérias primas até o gerenciamento de resíduos sólidos, percebemos a importância da influência do consumidor nos processos produtivos.

 

Assim, um pequeno grupo de engenheiros e técnicos químicos achou que era hora de fazer o elo de comunicação entre consumidores e produção, incentivando um melhor uso dos recursos naturais. Com o movimento mundial de produção e consumo sustentáveis, a ideia virou um projeto, o projeto uma realidade e assim começou o Instituto Precisa. 

 

O Instituto Precisa está localizado em Petrópolis, na serra carioca, onde a beleza da Mata Atlântica é o cenário para a importante discussão sobre os impactos ambientais decorrentes de nossas escolhas.

1/3

Suely Valente

Engenheira química e Mestre em ciências em processos bioquímicos com tese de mestrado em tratamento de efluentes industriais com produção de energia, iniciei minhas atividades profissionais na Eletrobrás, no segmento de produção de energia a partir de biomassas, incluindo a proveniente do tratamento dos resíduos industriais. Eram os anos 70 e enquanto o mundo pensava no petróleo, eu em como viver sem ele. Assim, fui parar no mundo maravilhoso da produção de alimentos com o objetivo de entender e descobrir como fazer os processos necessários à produção interferirem o mínimo possível no equilíbrio do meio ambiente. Os desafios eram muitos e eu pensava que se as pessoas conhecessem o potencial impacto dos processos e as alternativas existentes para reduzi-los poderiam ajudar a indústria, consumindo produtos que causassem menor impacto ambiental.


Diante deste desafio passei a questionar “Precisa ser assim?”. E a conclusão foi: há muita coisa que “não precisa ser assim”. Após anos de treinamento e capacitação de colaboradores da indústria neste tema, chegava a hora de multiplicar a mudança de conceitos e assim nasceu o Instituto Precisa.

Vera Regina Aleixo

Trabalhando por mais de 20 anos no controle de qualidade de uma grande indústria química, siglas como ISO, BPF, APPCC, 5S e mais recentemente PNRS fizeram parte de minha vida profissional.   Na indústria, participei de vários seminários sobre meio ambiente. Hoje, trabalho na Tresi Ambiental, onde  convivo com o lado burocrático da sustentabilidade: atendimento a requisitos normativos, solicitação de licenças ambientais, realização de cadastros, acompanhamento de processos junto a órgãos fiscalizadores, elaboração de  procedimentos e relatórios, participação em auditorias e busca de soluções para o descarte correto de resíduos.  

 

Voluntária no Instituto Precisa, faço pesquisas e contatos para alimentar sua base de informações. Refletir sobre o nosso comportamento e as relações que temos com a natureza, com as pessoas e animais também é parte fundamental do processo de mudança para um mundo mais sustentável. 

Adelia Di Buriasco

Escolhi o magistério como vocação natural, mas o mercado mais valorizado no mundo produtivo logo me atraiu. Nas indústrias que trabalhei, porém, dei sempre um jeito de me aproximar das áreas de treinamento me envolvendo nos sistemas de gestão de qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho. Ainda criança, questionava o consumo e participar do Instituto Precisa foi uma fácil decisão. 

 

No Instituto Precisa aprendi sobre produção e consumo sustentáveis, aprendi que minhas escolhas podem influenciar o mundo industrial, principalmente se eu me informar mais e espalhar a informação para outras pessoas.  Sem perceber, adquiri alguns hábitos, como o de recusar pequenas sacolas nas farmácias, comprar detergente sem cor e não aceitar papel de presente aluminizado. São ações muito simples, mas também aprendi isso: que a simplicidade de um gesto pode ensinar mais do que muitas palavras impressas em uma folha de papel branqueado por um processo químico que precisa também ser questionado. No Instituto Precisa eu escrevo, não o que penso, mas o que ele me faz pensar. 

Vitor Ferreira

Quando comecei a cursar Engenharia Química, na UFF, já havia despertado meu interesse em meio ambiente, tendo inclusive realizado algumas atividades na área. Cursos de inventário de emissões de GEE, gestão de água e de relatórios de sustentabilidade (GRI) ampliaram minha visão para a necessidade de maior divulgação sobre o assunto.

 

O consumismo exacerbado do mundo contemporâneo acarreta maior necessidade de consumo dos recursos naturais. O Instituto Precisa mostra como nossas escolhas refletem em maior ou menor contribuição para a preservação ambiental. Como trabalhador da indústria de transformação, acredito e apoio essa ideia. Conhecer as características dos materiais e compreender os limites da reciclagem ajuda consumidores a participar do movimento por uma produção mais sustentável.